O Atlético finalmente venceu um clássico de 2017 e se mantém como líder isolado do Grupo B. Se não foi uma atuação que encheu os olhos, pelos menos serviu para esclarecer para todos que alguns jogadores não podem ser reservas, que o superestimado time do Vila é bem fraquinho e que Marcelo Cabo calou a boca da imprensa goiana.

Pois bem. Um indício que o torcedor atleticano sairia com um sorriso no rosto após jogo era de que Abuda estava fora. Betinho – que eu venho cobrando no time há muito tempo – foi o destaque do jogo depois do mito/monstro Kléver.

Entretanto, se Betinho fazia bem seu papel, o time em geral no primeiro tempo teve uma atuação de sangrar os olhos. Arrisco a dizer a pior em um tempo de jogo em 2017. Que moleza era aquela?! Para nossa sorte, o Vila fez um péssimo jogo e não nos ofereceu perigo.

Só que aí entrou em cena nosso treinador Marcelo Cabo, que vinha sendo minado pela imprensa goiana querendo sua saída. Cabo é excelente, disparado o melhor técnico do Estado, e mudou o jogo no intervalo. Retirando peças que não mostraram nada em 2017, como Bruno Pacheco e Silva, e promovendo as entradas de Negueba e Wanderson.

Juntamente com as mexidas no time, a equipe mudou a postura. A moleza deu lugar à entrega. Jorginho foi recuado pelo treinador e jogou bem. Wanderson fez gol, atuou bem na lateral e mostrou que não pode ser reserva nesse time.

O time precisa melhorar muito, mas com Betinho e Wanderson sendo titulares nos próximos jogos o Atlético já dá um salto de qualidade.

Respeitem o Marcelo Cabo!

Meu freguês voltou!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.