Agora é no campo: Walter revê Atlético-PR pela primeira vez jogando pelo Dragão

Exibir tudo

Há pouco mais de um ano, Walter vestiu a camisa do Atlético-PR, onde ganhou a simpatia da torcida e foi campeão paranaense. Mas, nesta quarta-feira, a partir das 19h30, ele terá um sentimento diferente: enfrentar pela primeira vez seu ex-clube. Agora vestindo a camisa do Atlético-GO, o atacante volta ao lugar onde conhece bem: a Arena da Baixada.

Walter chegou ao Furacão em abril de 2015, vindo do Fluminense. Ele marcou 16 gols em 73 jogos pelo clube paranaense, onde conquistou o campeonato estadual de 2016 sobre o rival Coritiba. Após um primeiro semestre em baixa e na tentativa de voltar à melhor forma, trocou a camisa 18 pela 19 e recuperou o bom futebol, fazendo três gols e dando uma assistência.

Porém, sua saída foi conturbada. Mesmo depois de perder peso, a diretoria rubro-negra abriu mão do jogador – que era titular e que tinha contrato até o final do ano – para o Goiás, que renegociou o seu empréstimo com o Porto, de Portugal. Mas o atacante não ficou muito tempo no esmeraldino e foi para o Atlético-GO (veja a cronologia de Walter logo abaixo).

Com problemas corriqueiros de peso, foi no Atlético-PR que o jogador encontrou um projeto especial. Com metas estipuladas pela diretoria, o jogador, que pesava mais de 100kg, perdeu até 15kg e aproximou-se dos 92kg, o que era considerado ideal para ele.

Agora é no campo: Walter revê Atlético-PR pela primeira vez jogando pelo Dragão

De jogador a espectador

O último jogo de Walter pelo Furacão foi em agosto de 2016, na derrota para o Palmeiras, por 1 a 0, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mesmo após sair do Atlético-PR, o atacante fazia questão de assistir a jogos do Atlético-PR e foi visto várias vezes nos camarotes da Arena da Baixada. Viu, por exemplo, a derrota para o Grêmio, a vitória sobre o São Paulo e o empate com o Londrina.

Em uma das visitas, o atacante acabou sendo protagonista de uma polêmica. Na vitória sobre o Coritiba, por 2 a 0, na Vila Capanema, o jogador posou com uma torcedora segurando uma faixa com os dizeres “fora, Petraglia”, protesto organizado pela torcida contra presidente do Conselho Deliberativo, Mario Celso Petraglia. No dia seguinte, com a repercussão do ocorrido, Walter disse que não leu o que havia na faixa e enviou uma mensagem de áudio para Petraglia, pedindo desculpas, e chamando a torcedora de “maldosa”, dizendo que não sabia qual era o conteúdo da faixa.

Do Furacão ao Dragão

Depois de defender o Atlético-PR, Walter foi para o Goiás, clube que defendia de agosto do ano passado até fevereiro deste ano. A missão era ajudar o time a melhorar a campanha e evitar um trágico rebaixamento para a Série C do Campeonato Brasileiro. O atacante chegou ao clube em melhor forma do que em sua primeira passagem, entre os anos de 2012 e 2013. Mesmo ganhando peso até o fim da temporada, ele se destacou nas dez partidas que disputou marcando três gols e dando assistências importantes.

Porém, a saída do time esmeraldino foi em meio a uma polêmica. Durante um treinamento, o atacante desferiu uma cotovelada no goleiro Matheus e foi cortado a pedido do presidente Sérgio Rassi. Em seguida, em comum acordo, o jogador rescindiu seu contrato. Foram 16 partidas e três gols marcados em sua segunda passagem pelo Goiás.

Em março, Walter trocou o Goiás pelo rival Atlético-GO, com quem tem vínculo até o fim da temporada. Pelo Dragão, o atacante tem sido peça importante para a reação da equipe no Brasileiro, pelo menos no segundo turno. Ele tem três gols marcados (Coritiba, Ponte Preta e Avaí) em 19 partidas. Em bom momento, o jogador também está focado na dieta: atualmente ele pesa 94 kg, meta que havia sido estipulada pelo Atlético-GO.

Porém, o jogador não vestirá a camisa do Dragão em 2018. Ele tem contrato com o Porto até o fim de 2019 e o time de Goiânia não tem condições de prorrogar o vínculo.

Fonte: Globoesporte

Deixe uma resposta

//]]>