Exibir tudo

Precisamos de um verdadeiro ídolo para essa temporada. (Fonte: Espaço Atlético)

A situação não está nada fácil para o nosso lado. Terminando um campeonato estadual de forma melancólica, perdemos para o time do Iporá e, com isso, fizemos a pior campanha desde o ano de 2006. Para mim, e imagino que para tantos outros atleticanos, esse é só mais um indício de que os erros estão se acumulando e se repetindo na gestão do nosso querido rubro-negro.

Poderia eu aqui, com isso, remontar a infindável lista de equívocos que todo mundo já sabe. Todo mundo mesmo, incluindo o corpo que dirige o clube. Não adianta ficar aqui gritando em praça pública uma série de obviedades, como se só eu fosse capaz de enxergar as tolas decisões que já se transformaram em uma funesta filosofia de trabalho. Mas, como vovó já dizia: “O tempo é o senhor da razão!”.

Nesse tempo que passa, muitos já perceberam que coisas novas precisam acontecer para que haja uma perspectiva de futuro positiva para o Atlético Clube Goianiense. Nesse sentido, vejo que a chegada do técnico Cláudio Tencati já é um primeiro indício dessa inescapável demanda por novidades. Relativamente afamado na divisão de acesso, Tencati não se sujeitará a dirigir um grupo que não tenha um número significativo de peças que seja por ele indicado.

Por outro lado, cabe ainda resgatar a autoestima do torcedor que já viu essa equipe em situação bem melhor. Para tanto, falta um nome que mexa com as emoções e lembranças do torcedor atleticano. E, na atual conjuntura, acredito que o Elias seja a figura capaz de reorganizar esse cenário, conseguindo fazer duas coisas: zerar a desgastada relação do torcedor com a diretoria e, de quebra, colocar no elenco um jogador que tenha moral de cobrar e incentivar os atletas.

Não, não acredito que ele chegaria para ser titular e fazer milagres nesse time. Contudo, só de voltar ao campo, só de vestir novamente o manto rubro-negro, ele poderá fazer com que o torcedor tenha vontade de voltar ao estádio e gritar mais uma vez. Em termos práticos, pode ser aquela peça da etapa complementar ou o jogador que não deixe o setor criativo desguarnecido na falta do Tomas Bastos, por exemplo.

Eu até consigo ouvir as cornetas de quem ache que o retorno do Elias soe como uma medida populista da diretoria atleticana. Em certa medida, vocês têm razão. Mas, dadas as atuais condições e a tamanha incerteza sobre as nossas possibilidades na Série B do Brasileirão, a gente precisa do retorno de um ídolo para literalmente abrir uma nova página. No atual contexto, Elias, esse monstro da meiuca, é uma oportunidade batendo a nossa porta.

Sendo assim, decreto: VOLTA, ELIAS!!!!

Deixe uma resposta

//]]>