Neste momento o Atlético está muito próximo para conseguir mais uma vez o feito histórico de voltar a série A. Isto para um time do porte e recursos do Dragão é uma façanha notável, depois de um campeonato Goiano, que o time não engrenou, parece que as coisas estão no caminho certo. Faltam para o time 14 jogos, e começa as contas para saber o que é suficiente para o acesso. Muitos acreditam até no título.

Já sabemos que a torcida do Dragão é desconfiada, sempre exigente e ainda não compareceu como em anos anteriores, talvez pelo quase acesso 2014, onde dependíamos de uma vitória e não deu certo. Acesso não conquistado a situação piorou pois com ele veio um desânimo que faz o torcedor se manter distante e receoso, esperando as coisas se afunilarem para comparecer num campeonato que as coisas oscilam constantemente.

Em grupos do Facebook e Whatsapp que participo, os porquês afloram para descobrir quais os motivos para não comparecimento de torcedores e de público nos jogos. Eu vejo vários motivos e vou justificar alguns que colaboram para públicos pífios.

1) Horário de jogos – Os horários são para atender as demandas da TV e são marcados sem a preocupação com acesso ao estádio, horários de picos de trânsito, entrada e saída de torcedores e como esse povo vai chegar em casa. Eles marcam e que torcedor se vire para estar lá na hora do jogo. Ou imaginam que todo mundo tem carro ou sistema de transporte coletivo é uma maravilha;

2) Ingressos caros – Fazendo uma continha rápida, um torcedor gasta no mínimo por jogo em Goiânia: (Ingresso) R$ 15,00 + (Timemania) R$ 2,00 + (Vales-transportes – 02 un) R$ 7,40, ficando a bagatela de R$ 24,40. Se o torcedor sai às 18:00h do trabalho, ele tem que amar demais o clube para ir ao Serra, assistir ao jogo, voltando para casa às 21:30h, contando tempo de espera no ponto, no terminal, vai chegar na sua casa lá pela meia-noite, claro levando em conta que existem torcedores, mais humildes que moram na periferia, pegando até mais de um ônibus. Então, fica mais barato ir de carro, pois se considerarmos o tempo perdido de descanso deste trabalhador/torcedor que vai de ônibus e comparar com o combustível e conforto do torcedor que vai de carro, por uma partida que ainda não decidirá nada, e terão outras oportunidades de ver seu clube do coração, o torcedor de “busão” perderá, a não ser que ganhe na Timemania;

3) Transmissão de jogos – qualquer boteco, distribuidora de bebidas, pit-dog, etc. transmitem jogo de futebol. Mesmo que jogo seja em tv fechada, é mais fácil o cara assistir nesses ambientes, consumindo algo, conversando com amigos, replay de lances, comentaristas e depois disso tudo com alguns minutos de caminhada chegar na sua casa, tranquilo e rápido;

4) Campeonato de Pontos Corridos – Uma competição longa que as coisas demoram a se definir, muitas rodadas acabam sendo desinteressantes. Futebol é programa que as pessoas vão com amigos, família, colegas de trabalho, etc. Senão dá para ir junto com alguém, ir sozinho é um pouco sem graça. Além disso, o campeonato fica parecendo aquela série de tv ou novela que não desenrola e cada jogo parece um capítulo, que irá definir nas últimas rodadas. Eu mesmo sou contra os pontos corridos pois na Série B os recursos obtidos pelas cotas de tv e patrocínio ainda se equivalem, mas na Série A, a diferença é descomunal, transformando num campeonato injusto, mas isso é outro detalhe que precisaria de um livro pra escrever e não um blog;

5) Imprensa Imparcial – quem acompanha futebol sabe que o Atlético tem um tratamento diferenciado, para denegrir, rebaixar, omitir e ignorar feitos que neste campeonato foram vários realizados pelo time. Notícias em rodapés de páginas, às vezes nem escrevem, colocam até notícias de times de fora. Informações e comentários curtos nas rádios e na tv. E olha que melhorou demais pois o Dragão obriga ter notícia. Não podemos nem comparar com outros estados que defendem os seus times o tempo inteiro. Caso tenham dúvida ouçam a rádio 820 Band em horários que falam do futebol de São Paulo, é gritante a diferença, você quase acredita que só existe futebol que presta só por lá;

6) Estádio Antônio Accioly – Sei que o estádio Olímpico chega para suprir a necessidade de um estádio mais próximo do nosso reduto, porém vejo que não será ele que vai conseguir motivar o nosso torcedor. A diretoria do Santos por exemplo, sabe que sua torcida é bem maior na capital paulista, nem por isso manda seus jogos por lá, pois não quer perder sua identidade e sua história, discutem uma nova Vila Belmiro de milhões. No Atlético esse debate é longo, com opiniões divergentes sobre o assunto. Mas alguém acredita num Santos sem a Vila? Então…
São alguns fatores que acredito que influenciam na decisão de ir ou não ir ao estádio. Não é uma defesa, pois a torcida do Atlético é grande, como já provou em alguns jogos decisivos. Na hora da onça beber água todos estarão lá.

“Os que se queixam da forma como a bola quica são os que não sabem como arremessá-la.”
Confúcio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.