Paysandu 2 x 5 Atlético – Frustração e honra

Exibir tudo

Neste sábado, o Atlético fez seu último jogo em 2018. O Dragão da Campininha foi até Belém do Pará enfrentar o Paysandu. Com chances apenas matemáticas de acesso, o rubro-negro buscava a vitória para terminar o campeonato com dignidade e profissionalismo. Já o rival tentava desesperadamente escapar da Série C. Só lamento, Papão!

No embalo de um Estádio da Curuzu completamente lotado, o time mandante veio pra cima do Atlético nos minutos iniciais e com pouco tempo já abriram o placar. Contudo, o Atlético tinha um trunfo: o garoto Moraes. Após o mesmo ter sido o melhor em campo no último jogo, ele aprontou lá no Pará e emplacou dois gols ainda no primeiro tempo. Dois baldes de água fria no caldeirão bicolor. Uma pena esse garoto só lançado agora. Ele teve uma lesão séria no joelho e ficou de molho um bom tempo depois que voltou de empréstimos. A gente não merecia sofrer tanto com Mascarenhas e Bruno Santos.

A derrota rebaixava o Paysandu e, na pressão pelo resultado, o time deles mandou quase todo mundo para o ataque logo que o juiz apitou o início do segundo tempo. Aí facilitou pra nós. Roubamos a bola e num contra-ataque de almanaque o meia João Paulo ampliou o placar aos 30 segundos da etapa final: 1×3. Daí em diante o jogo ficou do jeito que o Atlético gosta mas que foi pouco explorado ao longo da temporada. Repeti muito aqui nas minhas análises que o time do Atlético é moldado para o contra-ataque, que não consegue jogar com a posse de bola. Dito e feito, apesar do Papão, na base do abafa, ter feito o segundo gol, o Dragão emplacou mais 3 pauladas nos caras e fechou o placar com um goleada de 2×5.

Fim de jogo e fim de 2018 para o Atlético. O sentimento é de frustração, pois tivemos um acesso muito fácil nas mãos. Essa Série B foi muito fraca tecnicamente e tínhamos totais condições de subir. Pagamos muito caro por derrotas inexplicáveis no Accioly para os rebaixados Sampaio Corrêa e Juventude. Paciência. No entanto, também fico com o sentimento de honra. Não dá pra falar que esse time não lutou. Falem que faltou qualidade… maturidade… mas luta não, tanto é que em um jogo que praticamente valia nada para nós eles foram lá e aplicaram uma goleada em uma equipe que lotou o estádio e tinha um objetivo muito claro no jogo.

Espero que em 2019 nosso futuro presidente Adson Batista repense algumas escolhas e, principalmente, faça um maior esforço pra manter uma base dessa equipe. Desde o título brasileiro de 2016 ele vem montando um time a cada 6 meses e não consegue segurar os destaques. A base desse time somada a contratação de jogadores de qualidade tem um potencial ENORME pra subir ano que vem. Ah, aliado a isso espero a manutenção do técnico Wagner Lopes que, além de saber muito, é excelente na montagem de elenco.

A torcida clama por um time forte desde o início do ano, sem esse papo de que vai reforçar depois do Goianão. Aliás, estamos com saudade de ganhar o estadual, já são 4 anos desde o gol de Lino. O papo de falta de grana não vai colar muito, haja vista a venda volumosa do Brandão e sem falar a do Luiz Fernando e do empréstimo com retorno financeiro do Jorginho. Estaremos de olho.

Valeu galera atleticana, foi um prazer estar com vocês nesse ano e não vejo a hora de estar no Accioly novamente.

Deixe uma resposta

//]]>