O Atlético iniciou a temporada com um orçamento girando em torno dos 6 milhões de reais, com uma das menores folhas salariais dos últimos tempos e sem pagar premiação de jogadores.

No campeonato estadual, um desastre. Bom futebol foi visto apenas nas 5 primeiras rodadas. Depois a equipe apresentou um futebol abaixo da crítica e mereceu ser eliminado na semifinal.

O Goianão foi vencido pelo Goiás, o time com orçamento que ultrapassa os 35 milhões de reais, pagando salários que beiram os três dígitos à jogadores experientes, dando premiação a cada vitória e bla bla bla.

Se a arrogância já é um fator predominante na torcida, diretoria e imprensa verde, com o título do Estadual ela só aumentou na Série B. Achavam que só com a “conta bancária” conquistariam o acesso. Ocorre que Série B é outro estilo. É raça, é regularidade, é organização. Só com arrogância não sobe. Mesmo com as derrotas, o discurso dos esmeraldinos continuava sendo de acesso.

Ao contrário, o Dragão encarnou o espírito da competição, colocou o pé no chão, fez uma bela preparação física e está há 20 rodadas no G4.

Isso mata os esmeraldinos. Como resposta, contrataram jogadores que em decadência passaram por aqui, como Artur e Marcão. Se não bastasse, contrataram jogadores que já estavam aqui: Ednei e Márcio. Contrataram ainda o atacante Léo Gamalho, carrasco do Atlético em 2014.

É claro que eles fizeram estas aquisições esperando que eles contribuam na fuga do rebaixamento. Mas não é só isso. A empáfia deles não admite um time rival dando show e eles passando vergonha. Querem de todo jeito “peitar” o Atlético.

Márcio e Ednei foram obrigados a apagarem de suas redes sociais fotos relativas ao Atlético, além de provocarem o Atlético em entrevistas, dizendo que sempre tiveram vontade de jogar no Goiás e que voltariam a jogar em um grande clube. Pois é! Alguém sabe me dizer quem era Márcio e Ednei antes do Atlético? Ednei então, coitado …

Para Goiás, tá feio! Preciso citar ainda a vergonha de vocês implorando pra ter o patrocínio da Caixa, enquanto não esperneamos hora nenhuma e somos patrocinados pela empresa há três anos.

Com o orçamento de vocês, dá pra fazer um baita elenco, sem precisar contratar jogador decadente e em fim de carreira para querer “cutucar” o rival.

Se quiserem, tem mais jogador aqui que não completou os 7 jogos, já que é de resto que vocês gostam!

“O Maior do Centro-Oeste”, como imprensa verde e torcida rotulam, está cada dia menor.

Com humildade e trabalho, o Dragão segue firme na luta pelo G4. Com arrogância e dinheiro, o Goiás lutará pra escapar da Série C.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.