Adson Batista que está desconfiado de algo nos bastidores da CBF

O Atlético-GO perdeu para o Cuiabá por 2 x 1, na última quarta-feira pela 3ª rodada do Campeonato Brasileiro. No entanto, a partida teve como principal destaque a atuação do árbitro Dyorgines José Padovani de Andrade (ES). Ele comprometeu o jogo após expulsar injustamente Willian Maranhão, detalhe que ele aplicou o cartão amarelo primeiro na falta cometida pelo volante. Depois da revisão do VAR, ele deu o cartão vermelho ao atleta do Dragão.

Nesse sentido, o presidente Adson Batista está desconfiado de algo nos bastidores do futebol.

“Está muito claro que o Atlético-GO está incomodando. Somos equipe emergente que busca o seu espaço no futebol brasileiro e estamos incomodando. Quando jogamos nada, como contra o Palmeiras eu falo. Porém, ficou nítido aqui que o árbitro veio para que o clube não saísse com um bom resultado. Nos prejudicou o jogo todo, cartão para todo lado, tirou jogador do próximo jogo, ele acabou com a partida. Ele não tem a mínima condição de apitar Série A, série nenhuma e nem do seu estado que não tem futebol. Deve ser alguma birra e vou buscar representar e reclamar sobre o que aconteceu aqui hoje”, disse a Rádio Sagres.

Além disso, Adson Batista afirma que houve conflitos de interesse nesse jogo.

“O presidente da Federação Mato-Grossense é um dos donos do Cuiabá, são irmãos. Mas há conflitos de interesse, colocam um “banana” como quarto árbitro tentando a toda hora nos prejudicar, tirando gente do banco, tentando nos dessensibilizar. Hoje foi uma várzea, realmente fomos muito prejudicados e jogou a nossa estratégia fora. Nos viemos para jogar de igual para igual, com uma característica diferente, infelizmente isso não aconteceu.”

Portanto, o clube viaja hoje para Santos onde no domingo encara o Peixe. A bola rola às 18h15 na Vila Belmiro.