Ontem, horas antes de outra importantíssima vitória rubro-negra rumo ao acesso à Série A, foi noticiada a inclusão de seis novos clubes na Primeira Liga: Atlético, Ceará, Tupi, Luverdense, Londrina e Brasil de Pelotas. Estes times, hoje na Série B, estarão apenas na competição de 2017.

Os clubes citados se juntarão a América-MG, Atlético-MG, Cruzeiro, Atlético-PR, Coritiba, Paraná, Chapecoense, Criciúma, Avaí, Figueirense, Joinville, Fluminense, Flamengo, Internacional e Grêmio.

Leia também

A Primeira Liga surgiu como um objetivo de introduzir no calendário do futebol brasileiro uma alternativa mais atrativa e mais rentável que os campeonatos estaduais, nos primeiros meses do ano. Acredito que, paralelamente, os organizadores vislumbram que, em longo prazo, a Copa da Primeira Liga acarrete no fim dos Estaduais, que não gera lucro aos clubes.

A primeira edição da Copa da Primeira Liga foi neste ano. Começou bem devagar. Tenho certeza que a maioria que está lendo este texto nem lembra quem foi o time campeão. Os clubes não sabiam se priorizavam a Copa ou o Estadual. A falta de reconhecimento por parte da CBF deu à Copa uma cara de competição amistosa de pré-temporada, sem graça.

Por outro lado, o público nos estádios foi considerado bom. Aliás, bem acima da média de público dos Estaduais. Consequentemente, a Primeira Liga foi mais rentável aos clubes que as competições regionais.

Um dos problemas está relacionado ao fato de que técnicos, jogadores e dirigente vivem reclamando do apertado calendário brasileiro e, mesmo assim, colocam outra competição no ano. Apesar de ser um campeonato curto, a Copa da Primeira Liga tende a aumentar consideravelmente o seu número de jogos, haja vista a inclusão de novos clubes a cada ano.

Acabar com os Estaduais seria uma alternativa para aliviar o calendário. Mas não vejo como uma medida simples. Além de ser um campeonato que a maior parte do público adora, é a única chance de título para times com pouco investimento levantar uma taça para sua torcida. Além disso, clubes do interior ficariam sem calendário e centenas de jogadores sem emprego.

O único campeonato que o Atlético possui chances reais de título é o Goianão, um campeonato que, apesar dos prejuízos financeiros, é o que enche a galeria de troféus da equipe.

Os times menores não tem condição de disputar a Copa da Primeira Liga e o Estadual com o time principal, a fim de lutar por título nas duas frentes. O poder financeiro não permite isso. Além do mais, no início da temporada os elencos ainda são curtos.

Valeria a pena abdicar da única chance de título para disputar uma Liga com gigantes apenas pela visibilidade? Valeria a pena apertar ainda mais nosso calendário só pela mídia e dinheiro?

A participação do Atlético na Primeira Liga envolve prós e contras. Você, torcedor atleticano, é a favor?

Fico na expectativa que em 2017 a Copa da Primeira Liga seja ainda mais rentável e que, principalmente, tenha graça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!