CBF mostra sua sensibilidade no tratamento com a arbitragem em meio à pandemia pela Covid-19




Os árbitros brasileiros de todas as divisões do Campeonato Brasileiro tiveram uma sensibilidade da CBF, que mostrou profissionalização em meio à pandemia pela Covid-19. O fato novo e que torna a arbitragem semiprofissional é que os valores repassados pela entidade nacional aos juizes, não poderão mais ser devolvidos.

“A gente recebeu uma notícia extremamente positiva do presidente (da CBF) Rogério Caboclo de que isso não é mais uma antecipação. Isso é um auxílio que foi dado aos árbitros. Ou seja, a gente não tem mais a necessidade da devolução desses valores quando o Campeonato Brasileiro recomeçar ali na frente”, celebrou o gaúcho Anderson Daronco em entrevista à Rádio Gaúcha.

Logo depois, o árbitro Anderson Daronco completou e explicou o trabalho dos árbitros estão sendo em home-office e uma pré-temporada virtual, que também demanda dedidcação. Principalmente, um aperfeiçoamento de todos os juízes que atuam em todas as divisões.

“É um dos argumentos fortes. Tanto que o próprio Leonardo Gaciba (chefe de arbitragem) e o presidente Caboclo também utilizaram isso. Desde o início, a comissão de arbitragem visualizou isso como um momento de extrema dificuldade. Não só a dificuldade financeira, mas da dificuldade do isolamento e da parada forçada. Os árbitros deram essa resposta pela paixão também pela atividade e depois veio esse, digamos, presente da CBF. Vamos ter essa gratidão eterna por essa gestão pela forma e o carinho com que eles estão vendo a arbitragem. Não vendo a arbitragem como um número”, completou Daronco.







Os comentários estão encerrados.

error: Content is protected !!