Atlético 2 x 2 Avaí – Parecia episódio dos Trapalhões

Exibir tudo

Dia 06 de novembro de 2018, 35ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O Atlético recebeu o Avaí em confronto direto por uma vaga na primeira divisão. O Dragão vinha de 4 jogos sem vencer em seu estádio e o Avaí buscava a vitória para não só se aproximar da Série A, como também para tentar tirar o título que praticamente está com o Fortaleza.

Desde o início do jogo ficou clara a estratégia do time catarinense que era de jogar no erro do Atlético. E estavam corretos. Analisaram bem o nosso jogo contra o Fortaleza. Esse time de moleques do Atlético não sabe jogar com a posse de bola. É de assustar o tanto que esse time erra passes e possibilita contra-ataques. Uma mania infernal de concentrar o jogo no canto do campo que não dá em nada, só facilitando a marcação dos adversários.

Mesmo errando inúmeros passes, o Avaí, de início, não soube aproveitar as chances. Em uma delas, a trave nos salvou. Porém, após uma bola parada, o zagueiro Lucas Rocha falhou bisonhamente dentro da área e o atacante Rodrigão não perdoou. Mais uma vez, começamos um jogo no Accioly atrás no placar.

Com a desvantagem, o jogo seguiu o mesmo. Atlético com a posse, mas nada de mais. A dupla de zaga estava terrível, nível amador. Os caras ganhavam todas do Patati & Patata. Lucas Rocha, que entregou o primeiro gol, conseguiu sentir fadiga com 30 minutos do primeiro tempo. No ataque, Renato Kayzer abusava dos erros, Thiago Santos novamente era um poste e o único que tentava algo era João Paulo.

Para o segundo tempo, Lucas saiu para entrada de William Alves. A troca melhorou um pouco a zaga. Pouco depois, André Luís entrou na vaga do poste e simplesmente infernizou a zaga do Avaí. Jogou muito. É lamentável que esteja com a lesão no púbis. Em uma grande jogada protagonizada por André, Kayzer empatou o jogo aos 20 do 2º tempo.

A torcida, então, começou a jogar junto e a virada era muito possível. Os visitantes sentiram a pressão e davam espaços. Só que minutos depois, em uma falha digna de episódio dos Trapalhões, o lateral (quase juvenil) Alisson entregou uma bola no meio de campo e Renato partiu livre na cara do Kléver para anotar outro gol. Foi um balde de água fria.

No final, o Dragão ainda achou um pênalti e empatou a peleja. Mas já era tarde. A vaca já tinha ido para o brejo.

Será que o Adson Batista achou que ia subir pra SÉRIE A formando uma equipe com um bando de moleque sem experiência? É quase um time Sub-23 esse nosso. Sentiram muito a pressão na reta final.

Fui a favor da venda do Brandão, a grana era boa, mas a verdade é que essa negociação custou a Série A pra nós. Esperava que com o dinheiro fossem contratados bons jogadores para o lugar, mas o que vimos foi um apanhado da reserva do Paraná Clube.

É aprender com os erros e planejar bem 2019.

Deixe uma resposta

//]]>