Atlético 0 x 1 Juventude – Derrota contra o adversário mais fraco desde a reinauguração

Exibir tudo

Nesta terça-feira, o Atlético recebeu o Juventude em jogo válido pela 28ª Rodada do Campeonato Brasileiro Série B. O Dragão vinha de derrota em clássico e buscava fazer valer o fator Accioly para reabilitar. Já o time gaúcho, vinha de DEZ RODADAS sem vencer e esperava jogar por uma bola em Goiânia e conseguiu.

O Atlético começou o jogo com uma alteração. Entrou Tomas Bastos no lugar de Andre Luis, que sentiu desconforto muscular. Quando a bola rolou, o Atlético amassou o adversário desde o início. Logo aos 2 minutos, Renato Kayzer perdeu chance clara de gol em cabeceio na pequena área. Depois, com outras duas cabeçadas, João Paulo perdeu também as oportunidades para abrir o marcador.

Além das diversas chances criadas, bola passando pela área, o Atlético envolvia muito facilmente a equipe do Juventude. A partida se desenhava, com certeza, para a partida mais fácil do Atlético desde a reinauguração do Estádio Antônio Accioly. Ocorre que, nos acréscimos do primeiro tempo, Julio Cesar de forma infantil cometeu pênalti e os caras não desperdiçaram: 0x1.

O segundo tempo teve início, mas logo aos 2 minutos os refletores do estádio apagaram. O jogo ficou parado longos 53 minutos. Quando o jogo reiniciou, o Atlético não teve o mesmo ímpeto ofensivo da etapa inicial, apesar da ampla posse de bola.

O Juventude fez muita cera e praticamente não passava do meio de campo. Mas marcava de forma eficiente, contando com a luxuosa colaboração dos passes errados da equipe atleticana. É impressionante, Kayzer, Julio Cesar e João Paulo erram MUITO o último passe. São muito afobados, não levantam a cabeça.

O Dragão pressionou, mas não adiantou. Perdemos a primeira no Accioly. É… ficou difícil. Sensação de desânimo bateu novamente, o time é muito limitado. Agora é tentar juntar os cacos e buscar os pontos fora.

Atlético sempre ajudando os mais necessitados, ressuscitando os mortos. Claramente no jogo mais fácil, somos derrotados. A bola pune.

Deixe uma resposta

//]]>