Em sua coletiva de imprensa, o presidente Adson Batista criticou o time do Bragantina e vê como injusto a maneira que a equipe se portou na série B.

– Falta um pouco de investimento para nós. É muito injusto que a CBF aceite um clube como o Red Bull (parceira do Bragantino) não começar na Série D. É desrespeito com quem está lá. Tinha que começar de lá, na escadinha. Chegaram, compraram um clube, esbanjaram dinheiro, dando R$ 9 mil de prêmio a cada jogador por jogo. É um absurdo e estamos nessa briga. Tem outros clubes partindo para esse patamar. Levo o clube na conversa, sem chegar a esses valores. Não é fácil, está muito desproporcional. Mas enquanto eu tiver força e prazer vou seguir no futebol.

Leia também

Adson Batista também falou sobre a ausência do meia-atacante Matheus nos últimos jogos pela Série B, mas garantiu que o atleta é tratado igual como todos os jogadores do atual elenco do Atlético-GO. Visto que nos últimos jogos tanto nas arquibancadas do estádio Antônio Accioly, quanto nas redes sociais os torcedores pediam o jogador para reassumir a titularidade na equipe do técnico Eduardo Barroca.

Outro assunto do dirigente foi sobre o legado que almeja deixar no Atlético-GO, quando um dia deixar o Atlético-GO e garantiu que o clube será diferente desde a primeira vez que colocou os seus pés pela primeira vez nas dependências do clube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!